Recentes :

CRESCE NÚMERO DE SUICÍDIOS EM PORTUGAL

O suicídio, em taxas crescentes, não é só um fenônemo dos países da América ou fruto da pressão social nipônica. Em Portugal, o índice sofreu um "aumento brusco" a partir de 2001, disse o psiquiatra Francisco Alte da Veiga, da Universidade de Coimbra. De acordo com Francisco Alte da Veiga, os dados mais recentes, relativamente à evolução das taxas de suicídio em Portugal - que se estendem até 2008 -, dão conta de um "aumento brusco", uma "duplicação" das taxas de suicídio, sobretudo a partir de 2001. Dos cerca de 600 suicídios consumados, por ano, no final da década de 90, passou-se para perto de 1200.

Ultimamente, os valores estabilizaram, rondando os 900 suicídios consumados por ano, referiu o psiquiatra dos HUC e membro fundador da Sociedade Portuguesa de Suicidologia, ao JN, após a sua intervenção, inserida no painel "A Morte e o Suicídio". Mas a evolução das taxas entre 2001 e 2008, reveladora de um "aumento tão marcado e súbito das taxas de suicídio", constitui, no dizer de Francisco Alte da Veiga, um "fenómeno invulgar".
Crise pode ter influenciado

Um "fenômeno que gerou algum espanto mesmo na comunidade internacional", como explicou Francisco Alte da Veiga, que chegou a receber "e-mails de colegas de outros países a perguntar o que se passava". Mesmo admitindo que "um maior rigor no registo dos óbitos pode ter levado a uma diminuição da subdeclaração do suicídio, nos últimos anos", o psiquiatra entende que "outros factores deverão ter contribuído para um aumento real das taxas".

Francisco Alte da Veiga considera que a "crise económica e social" pode ter tido influência, embora não possua dados que o sustentem. E clarifica: "O suicídio é um fenómeno multifactorial. Nunca há apenas uma variável que explique tudo".

Imagem: por Caio Basilio
Compartilhe no Google Plus

Nota : João Casmurro

Volte sempre.
    Comente
    Comente no Facebook

0 comentários:

Postar um comentário

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.