'QUANDO ALGUÉM SE MATA E SE DÁ CONTA QUE NÃO MORREU'

  
A terra é o lugar onde se experimentam os elementos e aspectos da condição humana - que não podem ser vivenciados em nenhum outro lugar. É um lugar de crescimento - e crescer não é fácil. A maioria das pessoas vivas hoje está constantemente pressionada por desafios de sobrevivência. Somos bombardeados com preocupações de ordem financeira, profissional, emocional, por problemas de saúde. Muitas dessas preocupações estão associadas com sentimentos de autodestruição. A certa altura, acreditamos: "Não posso suportar isso!" ou "É melhor morrer!".

A maioria das pessoas tem impulsos suicidas, pelo menos uma vez na vida. No entanto, esse tipo de impulso vem e vai embora, de acordo com a situação. O tipo de personalidade obcecada com a idéia de autodestruição - pessoas que fazem várias tentativas de por fim à vida - pertence, geralmente, a uma das seguintes categorias :

1. Uma pessoa com uma personalidade controladora e que de repente perde o controle dos acontecimentos.
2. Uma pessoa abalada por uma auto-imagem excessivamente negativa. Essa pessoa acha que não tem valor algum, nem contribui em nada para a sociedade. Ela chega a acreditar que planeta estaria melhor sem ela.
3. Aqueles que sofrem de uma enfermidade em estado terminal e não querem suportar mais sofrimento e dor, até a morte.
4. Aqueles que estão mentalmente doentes ou que sofrem algum desequilíbrio bioquímico.

É compreensível que, por conta de determinados sentimentos, circunstâncias e crenças, alguém encontre uma forte razão para se matar. Entretanto, do ponto de vista espiritual, isso não está certo. Cada um de nós tem um destino para o qual nascemos. Nosso destino cármico pode durar um mês, apenas, ou trinta e cinco, ou mesmo oitenta anos. Antes de retornarmos ao plano terreno, nos imbuímos de um fortíssimo desejo de nascer, de usufruir da experiência física, e entramos neste mundo com uma espécie de mecanismo de tempo instalado em nosso complexo psíquico. Quando a vida é cortada, nosso corpo deixa de existir, mas restam sempre laços magnéticos, ainda ativos, de tudo o que deixamos no plano terreno. Esses laços completam sua missão apenas quando percorremos integralmente o tempo predeterminado para nós no plano terreno. Como está escrito: Cada estação tem seu tempo.

Quando alguém se mata, uma das primeiras coisas de que se conta é que, na verdade, não está morto. Persiste na pessoa uma sensação pesada; porque os laços com o plano terreno continuam, como parte de sua natureza. De certo modo, podemos dizer que essa alma não está totalmente livre. A personalidade mortal se vai, mas não a alma. A alma imortal continua existindo, estacionada entre o mundo físico e o espiritual - viva, mas incapaz de comunicar-se com seus entes queridos ou com qualquer um. A alma sente-se culpada, sofre, fica angustiada, depois de pôr fim à vida. Descobre que seu destino poderia ter sido significativo, que teria muito a dar ao mundo, se tivesse permanecido viva. No estado espiritual, torna-se consciente de que deveria ter passado justamente por aquelas experiências que acabaram levando-a ao suicídio. E, ainda, pressente a dor e a raiva que deixou naqueles que ficaram.

O pior de tudo é que se encontra numa espécie de região do limbo. Não está apta a avançar para o reino eterno, nem pode retornar para o mundo físico. Está parada, imobilizada numa espécie de terra-de-ninguém, atormentada incessantemente pela lembrança do terrível ato que cometeu. Revê sua morte, vezes sem conta, como se fosse um filme velho, um filme muito ruim. Está presa numa armadilha, não há como sair.

Alguns espíritos de suicidas têm consciência do que fizeram. Mas muitos outros podem não estar cientes do que ocorreu. Por isso, revivem ininterruptamente seu momento de morte, como se fosse um círculo vicioso - que pode acabar tornando-se um tormento horrível. Eventualmente, o espírito acaba por convencer-se de que não pertence mais ao plano terreno.

Compartilhe:

3 comentários :

  1. Nossa deve ser horrível estar numa situação dessa. Deve ser uma angustia sem fim se poder voltar atrás.

    ResponderExcluir
  2. Ah sim! Certamente vocês se lembram de outras vidas em que se suicidaram.
    Ou conversam com os mortos, pra falarem isso com tanta certeza!
    ...

    ResponderExcluir
  3. Eu tenho a plena certeza que meu destino no planeta terra eh de sofrer. Acho que em outra vida fui uma pessoa muito ruim,e nessa estou pagando todos os pecados,pra mim isso nao eh vida e sim um martirio sem fim.As pessoas nao gostam de mim,nao possuo nenhuma doença ou defeito fisico,elas sentem nojo de mim,nunca fiz mal para ninguem.Nao tenho amigos,,nao namoro,nao sei o que ha de errado comigo.Nao sei o que quero de minha vida, e estou preocupado com meu futuro.Eu nao sirvo pra nada..realmente nao faria falta pra ninguem,as pessoas tem nojo de mim desde que me entendo de gente.Acho que nao conseguirei viver muito tempo nesse lixo de mundo pq nao estou aguentando mais ser torturado psicologicamente todos os dias.A pior coisa que Deus me deu foi a vida,pq nao fui eu que pedi para nascer, e sim ele,que me colocou nesse mundo pra me ver sofrer.Eu quero morrer! Pelo menos no limbo serei consolado por outros espiritos que fizeram a msm coisa que eu.Tenho 18 anos, e ja nao aguento mais esse infortunio de vida,queria apenas ser aceito do jeito que sou,nao quero mais fingir uma coisa que nao sou.Comprei uma garrafa de vodka,vou fazer um coquetel com soniferos,calmantes,remedios para dormir e acabar com tudooooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

 
Copyright © QUERO MORRER. . OddThemes