Recentes :

FAMOSOS SOFREM DE TRANSTORNO BIPOLAR


Lark Voorhies: a mãe da atriz contou que
a filha foi diagnosticada com este tipo de
desordem, depois de um vídeo em que Lark
parece brigar com as respostas se tornou um
viral na internet.
"Existem coisas que traumatizaram ela", disse a mãe


Jesse Jackson Jr.: segundo relatórios médicos,
 o congressista americano vem
 recebendo medicação para a
 bipolaridade, após uma inexplicável
 licença médica há cerca de dois meses


Demi Lovato: depois de passar três meses em reabilitação por problemas como bulimia, anorexia e depressão, a cantora de 18 anos anunciou que sofre de bipolaridade. Ela contou à revista People que não sabia que sofria do problema até começar o tratamento. A cantora disse também que pretende continuar falando sobre suas experiências, com o objetivo de ajudar as outras pessoas. "Eu sinto que não é uma coincidência Deus me colocar nessa situação e me dar a voz que eu tenho. Acredito que meu propósito na Terra é muito mais do que ser uma cantora ou atriz. Eu acho que é alertar as pessoas e ampliar a consciência sobre um problema que muitas pessoas não falam a respeito"

Catherine Zeta-Jones: a atriz divulgou publicamente o seu diagnóstico e se colocou à disposição para apoiar quem sofre com o distúrbio bipolar. Em entrevista à revista People, ela disse que "não há necessidade para sofrer em silêncio", e que se ela conseguisse ajudar ao menos uma pessoa a procurar ajuda, então sua experiência terá valido a pena.


Jean-Claude Van Damme: o ator disse ao site E! Online que vem recebendo tratamento para a doença. Ele contou que depois que tornou público o problema, a comoção das pessoas ao seu redor vem ajudando no processo.


Amber Portwood: Amber já experienciou muitos altos e baixos na frente das câmeras. Ela disse que toma medicação para tratar a bipolaridade desde que foi diagnosticada, em 2008. "Eu não acho que sou bipolar, para ser honesta. Eu acho que todo mundo acha que é bipolar hoje em dia", disse em uma entrevista. Mais recentemente, ela tratou a doença com mais seriedade. Eu luto com isso. Eu odeio isso, falou, referindo-se ao seu diagnóstico

Sinead O'Connor: em 2007, a cantora contou no programa The Oprah Winfrey Show sobre sua batalha com a o transtorno bipolar. Ela falou para a apresentadora que o tratamento trouxe a chance para construir uma nova vida

Michael Angelakos: depois de cancelar vários shows, no último mês de julho, o líder da banda Passion Pit contou que foi diagnosticado com o problema aos 18 anos. "Minha depressão estava tão ruim quando cancelei tudo, mas as pessoas não entendem que isso não é apenas debilitante, é muito abrangente", desabafou.


Carrie Fisher: a atriz discutiu publicamente o problema no ano de 2000, dizendo que foi viciada em drogas por muito tempo antes de descobrir que era depressiva. Carrie fala abertamente sobre sua batalha, que incluiu um período em um hospital psiquiátrico. "Ser bipolar pode ser um grande desafio e exigir muita coragem", contou.

Patty Duke: a atriz foi diagnosticada com o problema aos 35 anos. Em entrevista, ela contou que a descoberta foi um alívio, porque isso significava que ela não era a única pessoa no mundo que se sentia daquela forma. Ela disse que, quando era jovem, achava que existia algo errado com ela. Ao longo dos anos, falou abertamente sobre o assunto e chegou a escrever um livro sobre o tema. Patty afirmou que se considera uma sortuda, por ter acesso à mídia, escrever um livro e falar sobre seu problema.

Jane Pauley: a apresentadora discutiu seu problema em 2004, durante uma entrevista. Depois de lutar com uma depressão por meses e não se sentir melhor, Jane disse que ficou chocada quando o seu médico explicou que ela estava sofrendo do transtorno bipolar. Em seu livro, ela conta que não sabia quando ou onde teria outro episódio bipolar, mas que já está adaptada com suas mudanças de humor.


Linda Hamilton: a atriz contou a Larry King em 2005 que sua saúde mental foi piorando ao passo que sua carreira profissional foi crescendo. E por ter sofrido de depressão, ela disse que conversa abertamente com seus filhos e os lembra que é importante falar sobre os seus sentimentos. "Eu gosto de falar para que as pessoas saibam que não estão sozinhas", contou.


Compartilhe no Google Plus

Nota : Editor

Volte sempre.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

6 comentários:

  1. Todas pessoas problemáticas e mal amadas como eu, vendo estas histórias me sinto parte de um grande circo de horrores, prefiro lembrar de Marylin Monroe, tão mais bem sucedida com seus remédios

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa!!! A vida tá aí, não espere alguém te amar, ame alguém... Talvez esteja procurando nos lugares errados sua felicidade, mude o rumo, não faça planos. Que Deus te abençoe.

      Excluir
  2. I´m not a good therapist

    Marylin Monroe so sweet, saying bye, bye

    http://www.youtube.com/watch?v=toVqzyX554I&feature=relmfu

    ResponderExcluir
  3. VC nao e mau amada!isso so quer dizer qe vc naao teve capacidade de amar a si mesma..

    ResponderExcluir
  4. Como assim Marilyn bem sucedida?

    ResponderExcluir
  5. Olá, gostaria de oferecer um artigo de meu blog, sobre Transtorno Bipolar, o porque das crises. Obrigado.

    http://deondeparei.blogspot.com.br/2014/04/transtorno-afetivo-bipolar.html

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.