Recentes :

NUNCA NINGUÉM FEZ ISTO POR MIM

Imagem por angelssol
Tenho um casal de cachorrinhos da raça maltês e, ontem, enquanto lia um livro na varanda dos fundos aqui de casa , presenciei uma cena que me emocionou muito: a fêmea estava escondida atrás de um cadeira e o macho foi empurrando com o focinho a  tigela de ração até chegar perto da cachorrinha e ficou perto dela até certeza que ela estava bem alimentada. Achei essa cena de uma beleza incrível! Quantos seres humanos se matam por nada, se agridem sem motivo, abandonam seus filhos, ferem os sentimentos alheios pelo puro prazer de ver o outro chorar... E esse cachorrinho, tão pequenino, se preocupou com a sua companheira e com o seu bem-estar! 

Nunca ninguém fez isso por mim, talvez por isso essa cena tenha me tocado tanto. A espontaneidade, o fazer sem cobrança, o simples gesto de se preocupar com alguém, que coisa linda! E coincidiu que eu estava lendo um livro do meu autor favorito: Stephen King, e ele fez a seguinte citação no livro 'Sob a Redoma', página 816: " Nós achamos que somos inteligentes! Sabemos que as formigas são insetos sociais, construtores de casas, de colônias, arquitetos espantosos. Trabalham duro como nós. Sepultam os mortos como nós. Têm até guerras raciais, formigas pretas contra vermelhas. Sabemos disso tudo, mas não pressupomos que as formigas sejam inteligentes."

E os seres humanos são inteligentes? Alguns animais praticam o suicídio, elefantes se separam da manada quanto sabem que estão muito doentes e preferem morrer sozinhos. Baleias e golfinhos praticam o suicídio em massa, não se sabe o porquê, acha-se que deva ser por causa da poluição. Não sei, se o suicídio faz parte da natureza e das religiões criadas antes do cristianismo, como as orientais, por que ele é tão condenado? Por que acabar com o próprio sofrimento é tão combatido? Ou seria porque o nosso semelhante gosta de ver o outro sofrer? Já observaram como junta gente quando ocorre um acidente? Corridas de automóveis atraem o público  pela grande possibilidade de ocorrer acidentes, isso já está comprovado. A humanidade é cruel. Os animais são sublimes em sua essência.
A partir da Comunidade QM
Compartilhe no Google Plus

Nota : Editor

Volte sempre.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

2 comentários:

  1. Belo texto... vc verbalizou bem o que eu nunca consegui expressar:
    Por que o suicídio é tão condenado?
    Por que acabar com o próprio sofrimento é tão combatido?
    Seria porque o nosso semelhante gosta de ver o outro sofrer?
    A humanidade, de fato, é cruel.

    ResponderExcluir
  2. Achei o texto bonito, mas não posso concordar com ele. Quando não estamos bem, como no caso da cadelinha, só precisamos de amor e carinho. Morte é fim e não um meio para nos livrarmos do sofrimento. Não conhecemos, por assim dizer, o outro lado da moeda. Como podemos nos precipitar a ir numa festa sem que antes chegue o convite e sejamos recepcionados com amor e carinho por nosso divino anfitrião? Tudo há seu tempo, ao tempo de plantar e há o tempo de colher o que foi plantado. Não vamos adiantar as coisas. Viver é preciso!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.