O SUICÍDIO: UMA DISCUSSÃO FILOSÓFICA

Imagem por Mikamatto
A "Ilustríssima" (suplemento da 'Folha de S.Paulo') desta semana trouxe uma interessante entrevista com o psiquiatra José Manoel Bertolote, que acaba de lançar um livro sobre a prevenção do suicídio (veja aqui). Não há dúvida de que é preciso tomar medidas para reduzir as mortes autoinfligidas, que, na maioria dos casos, estão associadas a doenças mentais e são uma causa de óbito evitável. Como diz o ditado, "o suicídio é uma solução permanente para um problema temporário".

A crescente medicalização do fenômeno, entretanto, acabou tirando de foco o rico debate filosófico em torno da matéria, que, se não tem lá muita relevância prática, ainda é valioso para a história das ideias.

Na Antiguidade, temos Platão como um ferrenho opositor do suicídio e os estoicos no polo oposto, afirmando que ele sempre é uma opção quando nos vemos impedidos de gozar uma vida pujante.

O cristianismo, mais especificamente santo Agostinho e santo Tomás, porém, faz uma condenação radical da autoquíria, decretando que praticá-la constitui uma ofensa a Deus. Tal posição é majoritária, embora não unânime entre os filósofos mais ou menos até o século 18, quando passa a ser contestada por autores como David Hume e, em seguida, pelos românticos, pelos libertários e por alguns existencialistas.

Mesmo que não se comprem os argumentos pró-suicídio, eles contribuíram para secularizar a questão, diminuindo a carga que pesa contra os que tentam tirar a própria vida, e serviram para revogar medidas legais absurdas que existiam contra eles, como a possibilidade de ser preso e ter os bens confiscados.

É importante seguir com a discussão filosófica, abordando pontos que ainda causam controvérsia, como o direito ao suicídio assistido em caso de doenças incuráveis e até que ponto é legítimo tomar medidas coercitivas para evitar que alguém se mate, mesmo em situações que pareçam menos racionais que a anterior.
A partir da Folha de S.Paulo. Leia no original

Compartilhe:

41 comentários :

  1. Não sei porque tanto interesse de algumas pessoas em querer te ajudar a viver mais, de que adianta eu viver mais 30/40 anos nessa angústia, oque vou ganhar com isso? Será que depois da morte vou ganhar um algodão doce como prêmio pela minha perseverança? Um caso emblemático é o daquele inglês que queria fazer eutanásia, chegou a fazer até greve de fome entrou na justiça, queriam mante-lo vivo "a força" e no fim ele morreu naturalmente. E não venham falar de problema passageiro porque quando alguém decide se matar é porque já passou por anos e anos sem ter encontrado uma luz, que já tentaram de tudo, (inclusive igrejinha, pros crentes chatos de plantão). Eu tenho todo direito de morrer quando eu quiser, e só não fiz ainda porque eu sou um covarde, mas se um dia eu conseguir espero que a minha família se conforme numa boa, porque eu finalmente estarei livre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi meu nome é Luana, desculpe se esse comentário já foi enviado estou mandando outro pois não tenho certeza, gostei muito da sua forma de pensar a respeito de suicídio, gostaria muito de se possível fazer uma entrevista com você, eu sou estudante e estou fazendo uma pesquisa a respeito da Eutanásia e di Suicídio no Brasil se você morar em São Paulo por favor entre em contato comigo pelo e -mail
      gon_calves.lili@hotmail.com
      quem estiver vendo essa mensagem, e quiser entrar em contato por favor entre, principalmente se morar em São Paulo. Desde já obrigada.

      Excluir
  2. concordo com o comentário acima...
    porque querem tanto que eu continue aqui se eu vivo na mais completa solidão? é até ilógico isso, quererem que eu continue uma vida em que já estou totalmente ausente da vida de todos.
    a unica explicação que acho é que as pessoas não tem noção da dimensão de minha dor,não entendem que continuar aqui significa sofrimento pra mim.
    sonho todos os dias com a morte porque ela vai me libertar

    ResponderExcluir
  3. Uma discussão inútil, simplesmente porque morrer não é uma opção, o suicida apenas abrevia o inevitável, enquanto isso as pessoas "normais" acham tudo um absurdo como se morrer fosse apenas uma questão de escolha, um ato de covardia. Enquanto isso eles tremem de pavor da morte, enquanto o suicida a aceita de braços abertos, quem o é o verdadeiro covarde?

    ResponderExcluir
  4. Os comentários acima demonstram totalmente o que eu penso. É bom saber que existem pessoas que pensam como eu. Só o que falta agora é a coragem para me matar. Imaginem que terror que é a vida, até pra sair desse sofrimento ridículo temos que ainda sofrer fisicamente pra poder morrer. Eu gostaria de punir aquelas pessoas que defendem o direito à vida e agem como se a esperança fosse a última a morrer. Falam tanto de pessoas cruéis, como Hitler, mas não percebem que elas próprias são cruéis também por defenderem uma natureza tão ridícula. Prestem atenção, a vida é sofrimento. Leiam um trecho do pensamento de Arthur Schopenhauer, um filósofo que parece ter roubado minha reflexão sobre a vida de tão parecida que é a nossa forma de pensar.
    "O impulso do desejo não se dá de forma consciente: ele, ao contrário, se desdobra desde o inorgânico até o homem, que deseja sua preservação. A consciência humana seria uma mera superfície, tendendo a encobrir, ao conferir causalidade a seus atos e ao próprio mundo, a irracionalidade inerente à vontade. Sendo deste modo compreendida, ela constitui, igualmente, a causa de todo sofrimento, uma vez que lança os entes em uma cadeia perpétua de aspirações sem fim, provocando a dor de ser algo que jamais consegue completar-se. Daí a nota pessimista consequente no pensamento de Schopenhauer: o prazer consiste apenas na supressão momentânea da dor; esta, por sua vez, é a única e verdadeira realidade." Somente resumindo para vocês o pensamento desse homem realista, os seres vivos são obrigados a cumprir as regras impostas pelos seus corpos, pois senão sofrem. Ou seja, amor, esperança, tratamento de doenças, alimentação, relações sexuais, etc. não passam de formas de fugirmos do sofrimento. Eu desafio qualquer pessoa á tentar ficar um único dia sem seguir qualquer necessidade que lhe venha à mente, aí poderá perceber como a vida realmente é sofrer. De qualquer forma só estou desabafando enquanto não tenho coragem de causar dor física a mim mesmo para morrer. Nem esse desabafo, nem qualquer outra coisa, podem mudar o que a vida é: sofrimento.

    ResponderExcluir
  5. o amigo acima que citou o filósofo está certo,viver é sofrer
    temos uma quantdade incrível de desejos que nos afligem quando não os satisfazemos.
    e é certo que muitos não conseguem suprir esses desejos e sofrem ainda mais
    eu sou assim,minha vida é uma eterna aflição por causa de desejos não-satisfeitos...isso chega a ser desesperador!!!
    e são coisas das quais enquanto vivermos nesse corpo não conseguimos escapar
    esse é nosso verdadeiro cárcere,somos apenas joguetes.
    queria muito que houvesse esperança,que após essa cadeia a gente experimentasse a vida de verdade

    ResponderExcluir
  6. Não sou apologista do suicídio nem farei apologia a ele; aliás fico triste quando recebo a notícia de que alguém (famoso ou não) cometeu suicídio. Mas acho que em alguns casos o suicídio é mesmo uma opção válida e legítima para a dignidade humana.
    A morte faz parte da vida e é algo inevitável (todos nós morreremos um dia). Geralmente o suicida é uma pessoa consciente disso. Fico preocupado ao ver que hoje há uma forte tendência, principalmente pela área médica ou psicológica, em se patologizar de forma generalizada todo e qualquer pessoa que comete suicídio como "alguém que sofre de algum distúrbio". O suicida nem sempre é uma pessoa "anormal" ou sofre por um fator de ordem psiquica ou de "propenção genética ao suicídio". Evidentemente, em muitos casos sim, porém em outros não. Outros fatores interferem e muito na opção pela morte que o suicida faz.
    Não somos pessoas apenas racionais somos também emocionais; somos também culturais, sociais e econômicos; não vivemos em uma sociedade ou civilização perfeita onde todos são felizes (aliás, na nossa sociedade, a felicidade de alguns é construída sobre a infelicidade de muitos). Todos nós temos um limite ao sofrimento e infelicidade que podemos tolerar ou não. Há limites para tudo na vida, inclusive para a própria vida. O direito a vida (nem sempre digna) é algo que todos temos, mas devemos ter também o direito a morte com dignidade.
    Já vi familiares morrerem com câncer. O sofrimento (a dor física) é enorme. Evidentemente não queria que nenhum de meus familiares morresse como morreram e queria que estivessem vivos; mas quando lembro o sofrimento que passaram, penso que em determinado momento, a eutanásia era a melhor opção, já que a morte era inevitável.
    A vida é cheia de problemas (muitas vezes insolúveis) e como foi postado acima, sempre existiu na filosofia uma corrente que defendeu o suicídio como algo legítimo para a dignidade humana e que considera a vida como dor e sofrimento. Chego a esta conclusão também, de forma lúcida e consciente (sem "anormalidade" alguma e absolutamente saudável fisicamente) devido os problemas (que não são poucos nem momentâneos) que tenho passado. Já vivi momentos de angústia e tristeza em minha vida, já passei por circunstâncias difíceis, como também já fui feliz por um longo tempo; e ultimamente penso sim em suicídio como uma alternativa para a minha vida, ou para a minha morte. Se não me matei ainda é pelo único motivo que ainda tenho alguma esperança (cada dia que passa ela se torna menor), de conseguir reverter a situação em nada momentânea ou circunstancial ao qual estou submetido nos últimos meses. Isso não significa que quero morrer. É claro que quero viver. Quero voltar a ser feliz e quero a volta de tudo que amo e me fazia feliz e me dava vontade de viver. Mas diante do que tenho vivido e com as perspectivas lúcidas e racionais remotas de conseguir, o suicídio é sim uma alternativa (uma saída) digna para o meu problema que se torna cada vez mais insolúvel e permanente em minha vida, e na vida de pessoas que amo. (...)

    ResponderExcluir
  7. (...) Sou uma pessoa que não tem baixa auto-estima e nunca antes pensei em ser um suicida. Sou um homem cristão e temente a Deus. Conheço a Bíblia e o que a religião judaico-cristã pensa sobre o suicídio. Mas acho que no inferno tem muito mais gente que morreu de morte natural do que por suicídio. Acho que religiosamente falando, a questão central é que não vamos para o inferno exatamente pela forma que morremos, mas principalmente pela forma que conduzimos nossas vidas enquanto estivermos vivos; e o que fazemos aos outros como algo mais importante. Deus é misericordioso o bastante para salvar muitos que cometem suicídio. Da mesma forma Deus é maior do que o meu problema, mas eu não. Por este motivo, entrego meu problema a Ele. Acredito ainda no milagre dEle para o meu caso.
    Lembro agora do suicídio coletivo que ocorreu no ano 73 d.C. na Fortaleza de Massada em Israel. Das mais de 900 pessoas que estavam dentro da fortaleza, apenas 7 sobreviveram. Os demais se matou para não verem suas famílias separadas e assassinadas; suas mulheres, filhas e mães estupradas; seus filhos escravizados. Ali eram todos religiosos fiéis a Deus e bem conscientes do destino que teriam caso sobrevivessem. Preferiram se jogar do penhasco do que se entregar aos romanos. Você acha que algum deles foi para o inferno por se matar? Tenho convicção que não. Todos preferiram o suicídio à humilhação, à desonra, à vergonha, à escravização. Defenderam até a morte o direito a dignidade da vida que tiveram.
    Meu problema não é o mesmo daqueles que morreram em Massada, mas o dilema que vivo é semelhante. Estou lutando para defender e ter devolvida a dignidade da minha vida e da vida daqueles que amo; mas estou pronto para morrer pelos mesmos motivos; e ninguém tem o direito de me obrigar a fazer o contrário.

    ResponderExcluir
  8. não entendo porque o dono desse site não posta meus comentários!!!
    eu queria expressar minha dor também,mas vc sempre me veta.
    não entro mais aqui e tenho certeza de que esse meu comentário também não vai ser publicado mas esse recadinho eu dou para vc,administrador do blog!

    ResponderExcluir
  9. Viver é muito bom, pra quem sabe, felicidade é como se fosse um dom, independente do tipo de vida de você tenha, ou você é feliz ou nunca será, existem pessoas que não importa quantas pílulas tomem, nem a igreja que frequentam, nunca serão minimamente felizes. Um dia quando nem tinha mais esperança eu conheci a mulher da minha vida, pela primeira vez acreditei na felicidade, mas tudo foi uma ilusão que eu criei, como se a vida tivesse me pregado uma peça, daquelas bem chulas (pegadinha do Mallandro). Eu que até então tinha apenas idéias de suicidio, passei a pensar seriamente nisso a ponto de planejar a minha morte. E por favor não me venham falar de Jesus, primeiro porque eu tentei encontrá-lo e nunca tive resposta, ou ele não existe ou está se cagando pra mim.

    ResponderExcluir
  10. http://www.youtube.com/watch?v=u8RSb2B8mlE

    Canto para minha morte.

    ResponderExcluir
  11. Ao autor do comentário de 09/05/2013, às 19h46:

    Sou editor do Blog QUERO MORRER e moderador da Comunidade QM no Ning.

    Como todos os membros e participantes sabem, os comentários são essencialmente livres, mas são necessariamente moderados em virtude de abusos registrados no final do ano de 2012. Para tanto, utilizamos critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

    1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
    2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
    3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
    4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
    5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
    6. que caracterizem prática de spam;
    7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

    Todos são bem-vindos e podem participar (motivo pelo qual postei sua crítica), mas devem seguir as regras do Blog.

    Obrigado.

    Marcos

    ResponderExcluir
  12. Só existem dois tipos de pessoas no mundo, os que nascem para brilhar, e os existem só pra fazer sombra, oque seria do bonito se não existisse o feio? E do rico se não existisse o pobre, o forte se não existisse o fraco, não haveriam comparações, ninguém seria melhor que ninguém. Muitos dizem que o bom da vida é a diversidade, que se todos fôssemos iguais o mundo seria um lugar vazio e sem graça, quem diz isso é porque nunca esteve aqui no lado escudo da vida, só conhecem a luz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo.
      No colégio, por exemplo, sabe aqueles "queridinhos dos professores"?
      Pois é. Acha que seriam tão elogiados se os outros alunos não fossem tão burros?
      Essa idolatria faz com que os outros pensem que são meros lixos, entram em depressão e depois ninguém sabe ou menospreza os motivos. Dizem: esse idiota está assim por que quis. Quando os autores de frases como essas que são os culpados de tudo.
      Se Deus existe, ele é um sádico por ter feito pessoas tão diferentes, muitas vezes evidenciadas por suas incapacidades

      Excluir
  13. Gostaria de dizer que como terapeuta floral tenho tratado casos de tentativa de suicídio, com sucesso, principalmente e adolescentes. E vivencio a melhoria, alguns pacientes me foram encaminhados por psicólogos que dada a complexidade do caso não conseguiam quebrar as barreiras comportamentais para finalmente alcançar uma interlocução com seu paciente, e então poder dar continuidade no tratamento. Gostaria de propor que os profissionais de saúde se voltassem para a pratica do floral de bach, que embora seja uma terapia alternativa, nada tem de mística, pois é baseada em estudos científicos de um sanitarista inglês, que deu o nome a terapia, sua metodologia é reconhecida pela OMS desde a década de 80. Embora terapeuta, meu trabalho nesta área é voluntário, pois não exerço a profissão de forma remunerada. Acredito na terapia como uma ferramente importantíssima para os psicólogos e, vencidos os preconceitos e os interesses materiais, também para os psiquiatras.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi meu nome é Luana, gostaria muito de falar com você pessoalmente, sou estudante e estou fazendo uma pesquisa a respeito do Suicídio e da Eutanásia. Por favor entre em contato comigo por e-mail
      gon_calves.lili@hotmail.com
      se você não morar em São Paulo pode me recomendar algum colega psicólogo que more aqui? Por favor não ignora esse comentário. Obrigada.

      Excluir
  14. A luz é algo que está dentro de nós, precisamos encontrá-la. As vezes procuramos nas pessoas e nos lugares errados. Quando não nos conhecemos o sofrimento é inevitável, porque criamos nas pessoas modelos ideias e todo ser humano é falho. Quando conseguimos olhar para dentro de nós mesmo e nos avaliar com sinceridade, passamos a ver as pessoas como são, ninguém é feliz, ou triste, são apenas momentos, uns mais curtos, outros longos. Experimente sentar um uma praia ou um lugar isolada de natureza viva e sentir o vento e o som do ambiente, se não conseguir é porque sua mente está ocupada de pensamentos ruins, então leia sobre o método florais de bach, você vai descobrir que tem gotinhas a base de flores que tiram você do desespero interior, como tiraram a mim, que sofria de depressão crônica ao ponto da quase insanidade. O método é científico e reconhecido pela organização mundial de saúde desde a década de 80. Se tiver possibilidade procure um terapeuta floral, existem diversos tipos de floral, mas prefiro os de Bach. E tenha certeza que você vai poder viver seus momentos de felicidade.

    ResponderExcluir
  15. Quando se está só e já nem se sofre o que se faz? E quando o corpo doi e a cabeça está fazia? E se pede mesmo ajuda e é recusada ou ignorada? Expliquem-me, gostava de saber, gostava de gostar de viver.

    ResponderExcluir
  16. Esclarecimentos de um projetor astral acerca do suicidio,o que acontece energeticamente com um suicida:
    http://www.youtube.com/watch?v=xa5xU0ojrAg

    ResponderExcluir
  17. É isso ai Lilás, algumas gotinhas a base de flores que tiram você do desespero interior, hahshuhahaha

    ResponderExcluir
  18. Eu confesso que já cansei! Já pensei em me matar outras vezes, mas decidi fingir um otimismo para seguir em frente . Mas agora está insustentável. Penso na minha família, sei que seria uma decepção para eles.Eles nem desconfiam , pois minha dor é velada. Ando bem irritada ultimamente, porém não consigo verbalizar a minha luta interna com eles. Portanto, sou a boa "filha-irmã-sobrinha-amiga". Nínguém sabe o quão eu sou triste. Eu não sei o porquê. Ou melhor, até sei. Afinal,sempre fui meio melancólica desde de pequena e desde que me entendo por gente venho lutando de modo ferrenho com os meus sentimentos negativos.Contudo, o meu repúdio à vida tem aumentado pelo fato de muitas coisas estarem dando errado no meu cotidiano. E então, volto a repetir : Cansei de tentar! Ao meu ver , suicídio não é um ato de covardia.Mas sim , de coragem. Você é o árbitro da sua vida e desse modo tem o direito de saber quando ela deve chegar ao final.
    Olha, não julgo as convicções e preceitos sociorreligiosos de ninguém. Eu só não quero pertencer à esta vida. "Calma, não desista!Você consegue superar este momento" Será? Acho que não! Tenho 28 anos e esse embate interno me oprime ferozmente...e nunca cessa.

    ResponderExcluir
  19. Para esta jovem de 28 anos anonima do comentário de 13 de Junho eu queria dizer o seguinte .Não desista de viver, dê uma chance a sua vida pelo menos até falar com alguém que te entenda . Vc é muito jovem, não sei quais os problemas que vc tem, não quero nem tenho o direito de julgar suas ações presentes ou futuras mas por algum motivo estamos aqui Eu também sofro muito mas acho que minha missão não está cumprida. Quer desabafar comigo? Deixo meu contacto jc_51_amigo@live.com.pt
    Se eu conseguir fazer vc mudar de ideias e seguir em frente e um dia ser feliz eu próprio serei feliz Desejo o melhor para vc.

    Abraço

    José Luis Cardoso

    ResponderExcluir
  20. porque viver? a vida não faz sentido, tenho 25 anos, simplesmente não me encaixo nos padrões da sociedade, sou infeliz e não vejo futuro na minha vida, então, porque não posso simplesmente abreviar minha existência, porque continuar sofrendo, vivo preso no meu maldito cotidiano, todos os dias são iguais, o tempo passa e eu não consigo mudar, porque não depende só de mim depende também das pessoas felizes com as quais convivo que não fazem a mínima ideia do que se passa na minha mente. As pessoas são hipócritas e interesseiras, se alguém não tiver nada para oferecer simplesmente é ignorado. Acho que a morte é simplesmente o fim da existência, todos morrem um dia, porque não posso escolher esse dia? é tão difícil aceitar a morte?

    ResponderExcluir
  21. Fico feliz por ver que não sou o único que está insatisfeito com a vida e com o mundo. "Insatisfeito" é um eufemismo: quero dizer "desesperançado". Cada dia é mais um dia de desgosto, de incompreensão, de incômodos, de hostilidade alheia, de humilhações. Tudo seria suportável se houvesse uma contrapartida, algo que fizesse a vida valer a pena. Mas não há. Só há a certeza, quando vou dormir, que amanhã me levantarei para mais um dia desgraçado. Não consigo planejar minha morte porque tenho mulher e filha, e não posso deixá-las desamparadas. Tenho também uma mãe que certamente morrerá junto comigo se eu me suicidar. Quer dizer: não posso viver bem, não posso morrer, não posso nem reclamar da vida porque logo aparece um gaiato para dizer que a vida é boa, eu é que estou sendo fresco, etc. Vivo em um inferno e ninguém poderá me salvar.

    ResponderExcluir
  22. Eu penso em suicidio desde os 13 anos, mas eu pensava com um sentimento de pavor, não podia ouvir falar no assunto que meu coração disparava, como se eu soubesse que um dia eu podia fazer aquilo, o tempo passou e depois de viver o inferno na adolescência (bullying) eu quase surtei, foi o mais próximo que eu cheguei de me matar, mas eu resolvi ir embora do país pra esquecer de tudo e pra que todos se esquececem de mim, quando eu voltasse podia começar de novo, depois de 7 anos de solidão e trabalho duro eu voltei e tentei abrir um negócio, mas ainda não me sentia realizado porque como sempre estava sozinho, até que apareceu uma mulher na minha vida, ela começou a trabalhar na minha loja e pela primeira vez na minha vida eu estava apaixonado, nunca me senti tão bem, do nada toda a depressão e ansiedade tinham desaparecido, mas ela era muito complicada, já tinha um namorado que era capaz de morrer por ela e eu não sabia oque fazer, acho que ela estava chateada com o sujeito e meu usou para se vingar dele, quando eu percebi era tarde demais, no fim ela resolveu continuar com ele, e eu me perdi completamente. Minha loja faliu e eu estou desempregado, agora eu sou como um barco a deriva no mar, não tenho nenhum objetivo, não tenho nem vontade de levantar da cama de manhã, e aquele pensamento de suicidio de que aterrorizava começou a se tornar uma boa ideia, eu não cheguei aqui sem lutar, eu sempre lutei muito pra ser feliz, mas não consegui. E não me venham falar de Deus, porque se ele existe deve se fazer de surdo toda vez que eu chamo.

    ResponderExcluir
  23. Meu caso é bem parecido com o seu. Nada pior que estar sozinho, ainda mais quando amamos alguém que não podemos ter por perto. A noite chega a solidão parece que aumenta ainda mais. Não consigo ver sentindo para continuar "dando murro em ponta de faca".

    ResponderExcluir
  24. Por que que ideias de suicídio assombram as pessoas inteligentes? Quanto mais idiota e miserável, intelectualmente, uma pessoas é, mais ela quer viver. Então, que os suicidas em potencial, façam algo útil com a sua inteligencia e sabedoria, eu me incluio nessa classe. Nós somos a contra cultura desse mundo louco. A única coisa que nos faz feliz são as. Oisas pequenas da vida, como: a natureza, família. Pois, todos os sistemas, capitalista, socialista, consumismo, ideal de beleza, tudo isso nos deixam loucos. Por isso rejeitamos esse mundo. Não conseguimos muda-lo, então queremos Sair.

    ResponderExcluir
  25. Pois é, é como o rapaz disse, não tem como viver bem e não tem como se matar. O que me segura aqui é a droga de uma menina que não esta nem aí, minha mãe e meu gato. A menina: Jâ perdi as esperanças, o que me resta é ficar chorando e vendo fotos dela. Mãe: Dá pra ver na cara dela que ela se arrepende de tudo o que já fez para mim, ela medma já disse; me chama de porcaria e de merda toda vez que pode e depois vem com um papinho de desculpa. Meu gato: A única coisa que nunca me fez sofrer. Talvez seja só pelo gato mesmo.

    ResponderExcluir
  26. È ruim não querer viver e ter que viver pra nao fazer quem vc ama sofrer...eu nao quero mais viver,nao quero saber de nenhuma consulta se o mundo for continuar o mesmo...o mundo nao vai mudar e é ele que me deixa triste

    ResponderExcluir
  27. A minha situação é igual a dos dois ultimos comentarios, essa triste realidade, ninguem nos intendi, "o mundo esta contra nós" só não cometo o suicidio porque tenho alguma esperança...ainda que pouca de melhorar e pela minha familia que sentiria muito a minha falta!

    ResponderExcluir
  28. Cristiano Cruz, vivo também uma situação de solidão, angústia e tristeza profunda, sinto um grande vazio, sem forças, más eu sei que o mundo não muda, a mudança deve ocorrer dentro de cada um de nós, somos nós quem devemos mudar, não sou a melhor pessoa pra falar essas coisas, como já disse tô muito mal e como já me disseram , ninguém vai poder fazer nada por nós, nós mesmo temos que fazer, se eu não consigo, espero que pense nisso, que consiga. Também vejo o fim como um alívio, más no fundo tudo que quero é viver, saber viver, fazer amigos, sentir os sabores da vida, choro todos os dias, várias vezes ao dia, não tenho com quem desabafar, com quem contar, ninguém, aí vem a vontade de acabar com essa dor, más sim sempre fica um fio de esperança, não é fácil, não é.

    ResponderExcluir
  29. Vivo porque ainda tenho esperança - esperança de que algum milagre vá ocorrer, que algo vá mudar, que alguma coisa mudará em minha vida, que um objetivo ainda não revelado me aguarda após "segurar as pontas" e que eu ou o mundo mudemos e a felicidade - mínima, pois sei que plena não existe nessa vida aqui - poderia surgir. Mas acho que na verdade ainda vivo mais por medo de sentir dor no processo da morte do que por qualquer outra coisa. Se houvesse um modo 100% seguro de fazer da morte algo como pegar no sono, sem a menor dor, acho que os cemitérios ficariam sem vagas rapidamente. Prevenir o suicídio é importante mas até que ponto? Não vejo motivos para impedir a eutanásia em casos de doenças terríveis e incuráveis. E a depressão não seria afinal uma doença terrível e incurável? Existe tratamento... mas quantos aqui já se trataram e ficaram curados ou com uma qualidade de vida satisfatória quanto a ela por longos períodos?

    ResponderExcluir
  30. Essa existência é sem sentido.Para que,trabalhar horas por dia?para que ter que sofrer tanto,apenas por alguns poucos momentos de felicidade?Para que viver,se eu não sei a verdade sobre isso tudo,e nem tenho certeza do que estou fazendo aqui?Vivo num mundo onde só há discordia,ganância,desigualdade..é uma constante luta pela sobrevivência apenas e eu não quero fazer parte disso...da lei do mais forte,do mais esperto.Não quero mudar quem sou para me adaptar a isso,e é uma perda do meu tempo ficar viva,ter que comer todos os dias,dormir,respirar,tomar banho,viver de aparencias...não tenho esperanças com esse lugar,e não tenho medo do que pode vir depois da morte.Só devemos deixar as pessoas fazerem oque acham melhor para suas vidas

    ResponderExcluir
  31. "Suicídio, solução permanente para um problema temporário", só se a pessoa estiver revoltada pq perdeu as chaves do carro, tomou uma chuva ou ficou gripada bem no dia da festa de Formatura.

    Se a pessoa leva uma vida improdutiva, sem graça, sem alegria ou prazer e sabe de suas limitações pessoais que a empurraram e a mantém nisso, o problema do simples existir não tem nada de temporário.

    Há pessoas que de fato são ótimas criadoras de frases de para-choque de caminhão, bem adequadas para os "intelectuais" do Facebook.


    Cada besteira. Há pessoas que de fato são ótimas criadoras de frases de para-choque de caminhão, bem adequadas para os "intelectuais" do Facebook.

    ResponderExcluir
  32. Aff deus kkkk t deixand d acreditar qal pai qer ver a face d seu filho descascar com o sal das lagrimas .. qand eu tinha 3 anos perdi meu pai mae e vo ..ñ tenho familia fui criada com um monstro d pessoa q bebia tinha amante q passava a mao em mim era jogada p qintal p dormir com os cachorros apanhava todos os dias d pau era xingada umilhada n maximo sai d escola com 11 anos . Neste periodo deixava homens abusarem d mim por dinheiro fui mora com 14 anos com um homem 20 anos mais velho .. estou com ele ate hoje tenho vida financeira boa porem num tenho filhos ele ñ gosta de mim apenas fika porq sou bonitinha e nova e por causa d sexo .. m sinto usada choro todos os dias sou viciada em bebidas e cocaina .. meus irmao q nnca cresceram comigo um t preso outro perdido n mundo meu marido m umilha m xinga e pior q dependo dele p viver tudo pmim é uma bosta o amor ñ existe ñ venha dizer q a vida é linda pk eu vivo d realidades ... sempre orei p deus mais ele estava ocupado demais tirando os pais das outras crianças ...

    ResponderExcluir
  33. Eu não consigo mais viver. Não posso morrer, por que isso afetaria mais ainda a minha família e iria contra as minhas crenças. O problema não é a vida, mas a minha vida. Como eu tenho tudo, não posso reclamar. Mas do que adianta se, para mim a vida não tem graça. Ser um covarde, perturbar a vida da minha mãe com idas em psicólogos e tomando remedios o tempo todo só me faz pensar no quanto eu a envergonho todo dia. Eu nem consigo guardar esse inferno para mim mesmo, não, eu tenho que ficar reclamando todo dia. Escória como este que vos escreve deveria sumir deste mundo de fortes. Faço faculdade e meu desempenho só piora todo dia. Tenho dificuldade de me relacionar con as pessoas, por isso quase não tenho amigos e não converso com eles sobre nada disso. Estou cada vez mais descrente na ciência. Fiz os exames hormonais e as taxas estão normais! Como assim? É como dizer que eu não tenho problema algum, que nenhum tipo de remédio pode me ajudar. Sou teísta, vou a igreja más não peço por nada. Existe muitos outros que precisam mais de Deus do que este fraco miserável aquí. Não espero milagres, apenas espero a morte, tentando usar o resto de forças que me resta para ao menos poder me arrastar pela vida. Não espero nada da vida, pois eu já tentei, mas não consigo criar mudanças nela. Tenho que viver com medo de tido, com a cabeça baixa pois não tenho força para mudar minha realidade. Admito que a culpa é minha pelo que acontece comigo. E, apesar de desejar a morte, não penso em suicídio. Suicídio é a alternativa dos fracos que não aguentam o próprio sofrimento. Sejam fortes! Sofram até o final! Esse é o destino de quem vive nas sombras. Parafraseando um amigo: "ha pessoas que nasceram para sorrir e há aquelas que nasceram para sofrer". E é dever de quem sofre viver até o final, como todo o resto.

    ResponderExcluir
  34. Postei esta matéria linkada no Posto Virtual CVV.

    https://www.facebook.com/postovirtualcvv?ref=hl

    A questão do suicídio é um paradigma que deve ser alterado pelo bem da saúde publica e de jovens que por desconhecimento acabam por se matar.

    ResponderExcluir
  35. Como eu gostaria de sumir desse mundo cruel... o problema todo é que além de tudo de ruim que sou, ainda sou covarde....

    ResponderExcluir
  36. Liberdade para se decidir sobre os rumos da vida mas, sobretudo, sobre as coisas da morte!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou tremendo defensor do livre arbitrio. Por essa razão, apenas pelo fato de termos uma vida, não é sinonimo de que somos obrigados a vive-la. A dor nunca vai passar, não vale a pena viver a vida, tudo é sem vazio e finalidade; todos os desejos são proporcionados para sermos escravizados e para perdemos nossa identidade, tudo é vazio, tudo é nada. Sempre acreditei que a morte é a contemplação do seu próprio ser, é a salvação de si mesmo. Por isso, boa sorte e que vocês consigam abraçar a morte mesmo estando mortos há muito tempo, vamos a cura!

      Excluir
  37. "A vida só vale apena ser vivida quando se tem a vida que se deseja, do contrário é uma imposição imposta a nós sem nosso concentimento.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

 
Copyright © QUERO MORRER. . OddThemes