SUICÍDIOS NO JAPÃO RECUAM, MAS ÍNDICE AINDA É UM DOS MAIS ALTOS NO MUNDO


A Agência Nacional de Polícia (ANP) do Japão informou nesta quinta-feira (12) que o número de suicídios registrados no país em 2014 recuou 6,8% em relação ao ano anterior, para 25.427, marcando o quinto ano consecutivo de descenso. O nível, no entanto, ainda é um dos mais altos entre os países desenvolvidos se comparado com o volume total de sua população.

O dado coloca em relevo os esforços das autoridades japoneses para reduzir o número de suicídios que, além disso, se situou pelo terceiro ano consecutivo abaixo dos 30 mil. A metade dos casos registrados em 2014 foram atribuídos pela polícia a “problemas mentais ou doenças”.

O número de suicídios no Japão esteve abaixo dos 26 mil entre 1978 – quando as autoridades começaram a colher dados – e 1997, mas a partir daí ultrapassou os 30 mil durante 14 anos consecutivos.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Japão, um país com cerca de 126 milhões de habitantes, está entre os 10 com a taxa de suicídio mais elevadas, o que significa que há 20,7 suicídios ao ano por cada 100 mil japoneses. Além disso, a terceira economia do mundo é, depois da vizinha Coreia do Sul, o segundo membro com maior taxa dos membros da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE).

Das 47 Prefeituras do Japão, Tóquio, a mais povoada do país, foi de novo a que teve o maior número de mortes deste tipo, registrando 2,636 suicídios. Enquanto a província de Fukushima, gravemente afetada pelo terremoto e tsunami de há quatro anos e a crise nuclear resultante, registrou 0,9% menos mortes provocadas que em 2013, embora voltou a superar os mil (teve 1.083) e foi a nona prefeitura por volume de suicídios.

A Agência Nacional de Polícia publicou também dados sobre suicídios cujas causas e motivos considera ligados ao “impacto direto” do tsunami e do acidente nuclear. Em 2014, a polícia japonesa teve registro de 22 falecimentos deste tipo, 42% a menos que no ano anterior e 60% a menos que no ano da catástrofe.

Segundo os últimos dados relacionados com o desastre nuclear, de cujo explosão completou quatro anos na quarta-feira, mais de 70 mil pessoas que viviam junto à usina de Fukushima seguem sem poder retornar a suas casas pelos altos índices de radiação.

A partir de Mundo Nipo. Leia no original

Compartilhe:

Um comentário :

  1. Eu quero me suicidar. Tenho 19 anos. O motivo é que não consigo encontrar qual profissão vou seguir. Não é a primeira vez que isso acontece, em Julho de 2014, devido a grande pressão de passar no vestibular, fiquei muito depressivo e estava sozinho em casa, nunca falo nada disso pra alguém. Agora novamente o meu destino profissional volta a me deixar extremamente triste.

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.

 
Copyright © QUERO MORRER. . OddThemes