Recentes :

O ELO ENTRE ALZHEIMER E A DEPRESSÃO

Cientistas brasileiros descobriram o mecanismo responsável pela associação entre doença de Alzheimer e depressão. Na prática clínica, observa-se que uma das manifestações psiquiátricas mais comuns do paciente com Alzheimer são transtornos depressivos, que também atuam como fatores de risco importantes para a doença degenerativa. O que não se conhecia até agora era o mecanismo molecular exato por trás dessa relação.

O estudo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) concluiu que neurotoxinas chamadas oligômeros de abeta, presentes em maior quantidade no cérebro dos pacientes com Alzheimer, são capazes de levar a sintomas de depressão em camundongos. O tratamento desses roedores com antidepressivo reverteu o quadro depressivo e melhorou a memória.

A descoberta, que abre a possibilidade de investigar mais a fundo a eficácia da indicação de antidepressivos em fases iniciais do Alzheimer, foi publicada na revista Molecular Psychiatry, do mesmo grupo que publica a Nature. Os oligômeros, estruturas que se agregam formando bolinhas, atacam as conexões entre os neurônios, impedindo o processamento de informações. Como são solúveis no líquido que banha o cérebro, eles se difundem, atacando o órgão em várias regiões. Pesquisas anteriores demonstraram que os oligômeros são os principais responsáveis pela perda de memória nas fases iniciais da doença.

Para testar a hipótese de que eles também provocam depressão, os cientistas aplicaram a toxina nos cérebros de camundongos. Após 24 horas, os animais foram submetidos a testes que identificaram comportamentos depressivos. Mediante o tratamento com fluoxetina, o quadro foi revertido.

“Uma boa surpresa do estudo foi que a fluoxetina também teve efeitos positivos na memória”, diz um dos líderes do estudo, o pesquisador Sergio Ferreira, do Instituto de Bioquímica Médica da UFRJ.

Segundo o neurologista Ivan Okamoto, membro da Academia Brasileira de Neurologia, quem não tem histórico de depressão e desenvolve um quadro depressivo com idade mais avançada tem de três a quatro vezes mais risco de desenvolver Alzheimer.

Agora, de acordo com Ferreira, o desafio é entender por que os oligômeros levam também à depressão. “Observamos que eles induzem uma reação inflamatória no cérebro dos animais. É possível que essa reação esteja levando à depressão, mas os dados ainda não permitem garantir isso.”

Para o neurologista Arthur Oscar Schelp, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), é difícil reproduzir o Alzheimer em modelos animais, por isso a transposição do que se descobre nos roedores para os seres humanos ainda é difícil. Ele observa que a depressão predispõe ao surgimento de muitas doenças.

A partir do Estadão. Leia no original


*   *   *
Ouça abaixo entrevista concedida pelo médico Rodrigo do Carmo Carvalho, dos hospitais Sírio-Libanês e Oswaldo Cruz, à Rádio Joven Pan.
Compartilhe no Google Plus

Nota : Editor

Volte sempre.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

4 comentários:

  1. Natal chegou..e me parece que é Dezembro a época que mais chega membros ao QM.. Não sei quando e como teve (ou tiveram, não sei!) a inspiração pra criar o site, mas com certeza uns dos objetivos, ao menos, foi alcançado... O QM, é um refúgio pros desesperançados, e daqueles que não tem com quem compartilhar as dores da alma.. Obrigada pela iniciativa! Bom finalzinho de 2012! E que venha 2013!! Anjos iluminando seu caminho...
    Abração
    Patrícia

    ResponderExcluir
  2. Minha avó morreu com Alzheimer e vou te falar uma verdade, esta doença é muito triste.

    ResponderExcluir
  3. Minha familia por parte de minha mãe, todos faleceram com Alzheimer, essa maldita doença que transforma seres humanos em vegetais, agora minha mãe tb está na fase mais adiantada da doença, triste de ver alguem terminar assim, e por conta disso já avisei aqui em casa q assim que eu tiver um diagnóstico da doença vou terminar com minha vida, não quero pegar ninguem de surpresa, já estão todos avisados. Quero poupar minha familia de passar por todo esse sofrimento que é cuidar de um doente de Alzheimer, só ainda não sei como fazer isso, sem sangue, sem tragédia, simplesmente dormir e não acordar, que não seja tão chocante.Não tenho mêdo de morrer, mas tenho mêdo de sofrer.

    ResponderExcluir
  4. Creio que muitas pessoas, algum dia tiveram Vontade de Morrer, por vários motivos, alguns até banais. Quando pensarmos em Suicídio, primeiro devemos avaliar porquê e a quem vamos atingir com esse gesto, segundo quantas pessoas doentes, em fase terminal, DARIAM a VIDA para estar em seu lugar e por último, se DEUS nos deu a Vida, somente à ELE é dado o Direito de nos Levar na Hora determinada. A DEPRESSÃO Geralmente é a causa de suicídio, e os Antidepressivos Não Resolvem e nem Acabam com nossos Problemas, CERTA vez Falei ao meu marido que o melhor Remédio para Depressão, no meu caso, era o Trabalho, e o Doce o Combustível que me Fortalecia. SÓ TENHO a DIZER aos AMIGOS que PENSAM em SUICÍDIO: SE AMEM, SE AMEM, SE AMEM!!!!! NINGUÉM MELHOR que VOCÊ para te FAZER BEM, o MUNDO CORRE as PESSOAS VIVEM e VOCÊ é APENAS um DETALHE a mais para ELES. MAS para DEUS VOCÊ é INSUBISTITUÍVEL!!!!! PENSE SEMPRE NISSO, FIQUE com a PAZ de DEUS!!!!

    ResponderExcluir

Deixe aqui seu recado ou depoimento, de forma anônima se preferir. Respeitamos a sua opinião, por isto recusaremos apenas as mensagens ofensivas e eventuais propagandas. Volte sempre!

REGRAS PARA COMENTÁRIOS:

O espaço de comentários do Blog Quero Morrer é essencialmente livre, mas pode ser moderado, tendo em vista critérios de legalidade e civilidade. Não serão aceitas as seguintes mensagens:

1. que violem qualquer norma vigente no Brasil, seja municipal, estadual ou federal;
2. com conteúdo calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade, ou que desrespeite a privacidade alheia;
3. com conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas;
4. com linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica;
5. de cunho comercial e/ou pertencentes a correntes ou pirâmides de qualquer espécie;
6. que caracterizem prática de spam;
7. são aceitos comentários anônimos, contanto que não infrinjam as regras acima.